quinta-feira, 10 de dezembro de 2015

Que Venham os Rojões, Nasceu Jesus!

Natal

Que Venham os Rojões, Nasceu Jesus!

Sinos tocam, tocam os sinos
Estrelas brilham, brilham as estrelas
Lá no alto, lá no céu
Ao cantar… ao chegar…
Chegou o tempo de cantar
Festejar e agradecer as alturas
Chegou a hora de pensar,
Lembrar e realizar a todos
Os desejos, os sonhos
Virar realidade
Desejar felicidade,
Amor e amizade a todos
Dim, Dim, Dim, Dom,
Dim, Dim, Dim, Dom…
Batem os sinos lá no céu
Brilham as estrelas lá no céu
Vem estrelinha de Belém
Está chegando o dia de Jesus
Vem nos guiar com sua luz
Que venham os rojões, nasceu Jesus!
Escrevi esta poesia no final do ano passado. Pensando em como trocamos presentes e comemoramos essa data com a família e amigos.
Mas também podemos reservar um tempo para lembrar o por quê dela existir:
Para celebrar o nascimento de Jesus Cristo, nosso Salvador.
É uma data mais que especial! Tanto que até as estrelas iluminaram o primeiro natal, para mostrar ao mundo que Ele chegava.
Que a história e a vida de TODOS a partir de então mudava.
“E tendo nascido Jesus em Belém da Judéia, no tempo do rei Herodes, eis que uns magos vieram do oriente à Jerusalém,
Dizendo: Onde está aquele que é nascido rei dos Judeus? Porque vimos a sua estrela no oriente, e viemos a adorá-lo.
…Eis quea estrela, que tinham visto no oriente, ia adiante deles, até que, chegando, se deteve sobre o lugar onde estava o menino.
E vendo eles a estrela, regozijaram-se muito com grande alegria.”
(Mateus 2:1-2, 9-10)
Então os magos ofereceram presentes a Jesus.
Hoje trocamos presentes uns com os outros.
Mas que presente oferecemos a Jesus?
Que homenagem fazemos à Ele?
“Portanto levantai vossa luz para que brilhe perante o mundo. Eis que eu sou a luz que levantareis – aquilo que me vistes fazer…”  (3 Néfi 18:24)
Cristo nasceu e cresceu de graça em graça.
A respeito do Pai Celestial Ele aprendeu e o Evangelho Ele nos deu e o viveu.
Será que estamos agindo como Cristo ensinou e viveu? Estamos levando a Sua luz por onde andamos? Estamos fazendo o bem a todos que cruzamos como Ele fez? Porque foi assim que Ele fez.
Todos que foram até Ele pedindo ajuda e conhecimento, Ele os atendeu. Para todos aqueles que tinham Fé Nele.
Será que estamos demonstrando amor e compaixão por todos que passam por nós? Ou todos que convivem conosco? Estamos amando e demonstrando à nossa família e amigos o amor e compaixão que Jesus nos mostrou?
É isso que EU estou esperando para esse Natal e nos próximos que virão: que eu possa compreender melhor Jesus Cristo e agir mais como Ele age. Em especial da forma como Ele tratava a todos por igual, com carinho, respeito e sempre deixando algo dele com amor.
Que não nos preocupemos em apenas dar presentes e sim deixarmos algo de nós para todos os combatentes desta jornada, com quem convivemos e que passam por nós de alguma forma.
Seja na forma de um sorriso ou de um abraço amigo. Uma palavra gentil ou uma conversa sincera. Uma pequena lembrança feita por nós, mesmo que simples pode significar muito para alguém!
Doando para alguém coisas que não usamos mais e estão ocupando espaço (brinquedos, roupas ou objetos).
Até mesmo fazendo algum prato de comida ou doce, seja o que for, feito com carinho será bem-vindo para quem receber, com certeza!
Algumas vezes no ano sempre separo com meus dois filhos os brinquedos que eles não usam mais, e damos para alguma criança. Eles até gostam.
Tem dia que meus filhos estão procurando algum brinquedo e encontram algum que já não brincam mais,eles me falam: “– Mamãe, pode dar esse brinquedo porque eu já estou grande!” Ou dizem algo parecido. Já aconteceu mais de uma vez.
É tão importante ensinar às crianças a não se apegarem demais a nada material e a dividirem o que tem. Sou grata por eu não dificuldade nenhuma com os meus filhos nisso!
No Evangelho de Lucas lemos que quando os pastores estavam vigiando o seu rebanho um anjo lhes apareceu.
“E o anjo lhes disse: Não temais, porque eis que vos trago novas de grande alegria, que será para todo o povo.
…Vos nasceu hoje o Salvador, que é Cristo, o Senhor.
…E, no mesmo instante, apareceu com o anjo uma multidão dos exércitos celestiais, louvando a Deus e dizendo:
Glória a Deus nas alturas, Paz na terra, boa vontade para com os homens.”  (Lucas 2:10,13-14)
Para isso Jesus veio ao mundo, para nos ensinar a ter paz na terra e fazer o bem. Essas eram as grandes novas para toda a humanidade. E para isso apareceram aos pastores não apenas um anjo, mas sim um exército de anjos celestiais cantando e anunciando o nascimento do menino Jesus.
Imagino que cena sublime e tocante ver e ouvir essa multidão de anjos!…
Já pensaram que um coral ou alguém cantando pode ser como essa multidão de anjos para alguém anunciando boas novas?
Me lembro de inúmeras vezes em que me senti tocada ao cantar ou ouvir as músicas no Natal. Que bênção é a música e a oportunidade que ela nos dá. Na missão tive muitas experiências nos corais, nas visitas, porta em porta, noites familiares, etc.
Muitos começam a ouvir a mensagem com os Hinos de Natal.
Antes da missão também participei de muitos corais na igreja e até com a família da parte de minha mãe: íamos cantar nas casas, na igreja, em instituições e até em apresentações para a comunidade também.
Cantamos uma vez no Parque Vitória Régia (um anfiteatro de Bauru-SP). E foi lindíssimo! O local maravilhoso ajudou muito também.
A música é uma ferramenta valiosíssima que temos para tocar o mundo com a verdade.
Alguns de nós deixam tesouros através de seus dons.
Os médicos salvam muitas vidas através de seus conhecimentos de cura que têm infinitas repercussões. Quando salvam UMA vida não salvam apenas uma pessoa mas a família toda dela e a de todos seus descendentes.
Que importante e incrível isso não é?
Os músicos deixam músicas que ficam por gerações. Assim como os escritores deixam obras eternas muitas vezes obrigatórias para leitura nas escolas e faculdades. Ou os pintores e artistas que deixam seus desenhos ou pinturas expondo suas almas em quadros. E tantos outros dons e legados.
Os missionários também deixam uma dádiva tão grande para aqueles que aceitaram o evangelho. Levando essas novas de grande alegria ao mundo, dando a oportunidade a outras pessoas de conhecerem essa paz que Cristo nos dá. O que pode mudar o rumo de muitas famílias que virão.
Na missão nós aproveitávamos muito o Natal para tocar no coração daquele povo tão amado com hinos natalinos.
Como as pessoas ficam mais sensíveis ao Espírito nessa época tão linda!
No final de 2008, na minha missão em Coimbra – Portugal eu estava com Irmã Evans passando pelo Largo da Portagem na Praça Tiradentes quando alguém me parou e perguntou o que eu esperava de 2009. Aí eu vi que ele estava segurando um microfone e tinha um câmera me filmando! Fiquei pensando… será que posso dar uma entrevista? Será que pode? Por fim, respondi que eu esperava que as pessoas demonstrassem mais amor umas às outras e dei meu testemunho!
Foi interessante. Eu não ia perder a oportunidade de falar da igreja e o fiz. Foram bem gentis conosco. Quem sabe se alguém ouviu a minha breve resposta e viu a nossa plaqueta de missionárias e foi conhecer a igreja? Acho que nunca vou saber… mas a semente foi deixada.
Uma lembrança engraçada do Natal daquele ano.
Acredito que muitas vezes nem lembramos que temos o melhor presente de todos para compartilhar no Natal e em todos os momentos: o evangelho!
Espero conseguir compartilhar mais presentes esse ano, sejam eles quais forem, na forma de palavras, de lembranças feitas por mim (adoro fazer coisas artesanais), de cartas, de sobremesas, de comida, de muitos abraços e sorrisos, de bastante tempo junto com família e amigos, dividindo o que tenho e também deixando mais meu testemunho a quem estiver disposto a ouvir.
Espero então levantar cada vez mais, essa luz de Cristo que Ele nos mostrou!
Por fim, espero que todos nós possamos agir com esse Espírito Natalino durante todo o ano seguinte e não só no Natal mas sempre.
Termino com meu Hino de Natal preferido:
Quando o anjo proclamou
Quando o anjo proclamou o primeiro Natal
Dirigiu-se aos pastores ao pé de Belém
Lá nos campos a guardar seus rebanhos do mal,
Contemplando as estrelas distantes no além
Natal, Natal, Natal, Natal
A Israel nasce o Rei, afinal!
E de súbito, no céu, linda estrela surgiu,
No oriente brilhou com estranho fulgor
E na terra, sem rival, jubilosa luziu
Muitas noites ainda em grande esplendor!
Natal, Natal, Natal, Natal
A Israel nasce o Rei, afinal!

    Francine Polito Galdino

    Nascida em Bauru, serviu uma Missão de Tempo Integral na Missão Porto Portugal. Casada , mãe de 2 filhos, 
    gosta muito de escrever, costurar, desenhar e fotografar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário