quarta-feira, 9 de setembro de 2015

Toda Vida Daria um Livro

livro


Toda Vida Daria um Livro

Todos nós passamos por muitas experiências durante nossas vidas. Pena que esquecemos a maioria delas, com exceção das mais marcantes, as experiências mais felizes, as mais chocantes, as que nos envergonharam mais.
Mesmo que não lembremos de todas as experiências de nossas vidas, ainda assim as que lembramos não dariam para escrever um livro? Certamente que sim.
A diferença básica entre um escritor e uma pessoa comum, é que o escritor escreve as coisas importantes que imagina, vive, lê, ouve ou vê.
As pessoas comuns têm preguiça ou dificuldade em escrever.
Mas tudo isso tem solução. Com os avanços da internet, todos podem aprender a escrever razoavelmente bem, e só precisam então, vencer a preguiça.
E escrevendo sempre, um dia começará a sair alguma coisa boa. Com certeza!
E o que escrever?
Comece escrevendo a respeito do que você entende.
Frases curtas.
Não se preocupe com os erros de português: hoje em dia, ao se digitar num computador, temos uma “ajudinha” especial, um corretor automático que nos mostra os erros de português, e nos sugere as palavras certas!
Com o tempo, você notará que sua mente começará a se tornar cada vez mais criativa, e os seus escritos, cada vez melhores.
Floreie suas experiências, dê asas à sua imaginação, não tenha medo do ridículo.
Nem todos se tornarão mestres da literatura como Machado de Assis, mas só pelo prazer de se ler alguma coisa interessante que escrevemos, já vale a pena todo o “sacrifício” de escrever!
Muita gente quer mudar o mundo. Pode-se mudar o mundo de muitas maneiras, mas segundo as Escrituras, as palavras (faladas ou escritas) são mais poderosas do que a espada!
No Livro de Mórmon encontramos:
A pregação da palavra (…) surtia um efeito mais poderoso sobre a mente do povo do que a espada ou qualquer outra coisa que lhe houvesse acontecido” (1)
E o que é uma “pregação”, senão palavras proferidas e/ou escritas? E as Escrituras, a Bíblia, e os outros livros sagrados, o que mais são do que palavras escritas?
Claro que não temos a pretensão de nos igualar aos Profetas do Senhor, que escreveram as poderosas palavras das Escrituras.
Mas quem sabe se quando relatarmos uma experiência que enfrentamos, e descobrimos a solução do problema, e depois escrevemos isso, não ajudaremos outras pessoas a enfrentarem uma situação semelhante?
E é tão bom quando percebemos que o que escrevemos fez bem para uma pessoa que seja!!
Portanto, pegue um papel, uma caneta, ou se sente na frente do computador, esqueça a preguiça e escreva!
Referências citadas
  1. Alma 31:5
 (Luiz Polito)

Nenhum comentário:

Postar um comentário